Fitness Ver Fitness Governo autoriza o abate de 1.821 sobreiros para construção de parque eólico da EDP Renováveis

Governo autoriza o abate de 1.821 sobreiros para construção de parque eólico da EDP Renováveis

Parque Eólico de Moncorvo, da EDP Renováveis, pediu ao Governo autorização para abater 1821 sobreiros para poder avançar com a construção de um parque eólico em Sines, tendo obtido luz verde, indica um despacho publicado esta terça-feira em Diário da República.

A Parque Eólico de Moncorvo quer construir o Parque Eólico de Morgavel e instalar uma linha elétrica a 400 quilovolts (kV) de interligação à subestação da Sines. Para isso, solicitou o abate dos 1.821 sobreiros, que se estendem por 32,22 hectares entre em várias freguesias de Sines e Santiago do Cacém.

O despacho “declara a imprescindível utilidade pública do Parque Eólico de Morgavel (PEM) e da linha elétrica”, argumentando que foram equacionadas alternativas no momento de Avaliação de Impacte Ambiental, tendo a comissão responsável decidido que o projeto se encontrava em conformidade ambiental.

Teaching 'Selfish' Wind Turbines to Share Can Boost Productivity | WIRED

O despacho refere ainda que os proprietários apresentaram também a autorização para o abate dos Sobreiros e que a Câmara Municipal de Sines emitiu uma declaração reiterando o interesse do município na instalação da central eólica.

A empresa promotora do projeto comprometeu-se a avançar com medidas compensatórias que passam pela arborização, num misto de sobreiros e medronheiros, numa área de 50,07 hectares. Além disso, vai “beneficiar as infraestruturas já existentes” na área do Perímetro Florestal de Conceição de Tavira.

O abate dos 1.821 sobreiros está condicionado à aprovação e implementação do projeto de compensação e respetivo plano de gestão, e ao cumprimento das eventuais condicionantes apresentadas pela entidade licenciadora da obra, conclui o despacho, assinado pelo ministro do Ambiente, Duarte Cordeiro.

O Parque Eólico de Morgavel recebeu, em setembro de 2020, um parecer “favorável condicionado” da Agência Portuguesa do Ambiente. No resumo não técnico, lê-se que está prevista a construção de 15 aerogeradores e plataformas de apoio, uma subestação elétrica, linhas elétricas internas a 30 kV (enterradas e aéreas), caminhos de acesso internos e, como projeto associado, uma linha elétrica aérea a 400 kV para ligação à subestação Elétrica REN de Sines.

Foi em fevereiro deste ano que a Autoridade da Concorrência (AdC) comunicou que não se opunha à compra pela EDP Renováveis da empresa Parque Eólico de Moncorvo, a qual se dedicava a conceber e implementar o parque eólico de Morgavel, no concelho de Sines.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Post